Introdução da SAD

A gestão das organizações desportivas é, atualmente, mais complexa que no passado. São muitos os fatores que aumentaram a complexidade na gestão dos clubes. No passado, o espetáculo desportivo não era tão exigente como atualmente, pois a necessidade de satisfação do cliente era baixa, devido à ausência de concorrência no setor do entretenimento e ocupação dos tempos livres das pessoas.
Agora, existem mais clubes por habitante que no passado e as pessoas são mais exigentes relativamente à qualidade da oferta desportiva.

A necessidade de criar um bom espetáculo que atraia a população exige mais das organizações e dos seus recursos humanos e tecnológicos. Hoje, as pessoas não querem apenas ver um jogo de andebol. Querem, sim, ver animação, diversão, espectáculo. Procuram identificar-se com o clube, emocionalmente e racionalmente.

Por isso, as organizações desportivas têm necessidade de bons profissionais nas suas estruturas. Profissionais que saibam trabalhar em equipa, cooperando e encontrando novas soluções para a organização e para os seus associados, atletas e patrocinadores. Os gestores devem focar-se na criação de condições sustentadas que permitam aos colaboradores da organização estarem motivados, informando-os sobre como melhorar as suas atividades, desenvolvendo entre eles uma cultura de qualidade no serviço prestado pelo clube, orientando-o para os associados.

Uma boa organização interna é um pré-requisito fundamental para o sucesso externo do clube. Porque o produto desportivo possui características únicas,  é fundamental que qualquer estratégia conheça os seus elementos, de modo a rentabilizar a criação e distribuição dos serviços desenvolvidos.

O Académico Basket Club de Braga tem, ao longo da sua existência, passado por ciclos de considerável êxito e, desse modo, tem beneficiado a comunidade local, através da projeção mediática alcançada pelas vitórias. A imagem do ABC, enquanto referência no panorama do andebol nacional e europeu, só tem sido possível graças à convergência de esforços de todos quantos têm contribuído para esta organização.

Nos últimos anos, como todos sabemos, o clube tem tido momentos de excelência no plano desportivo que o projetaram na Europa. No entanto, tem simultaneamente passado por situações de insucesso organizacional. Esta situação lançou o clube numa grave crise de identidade. Sem modelo de gestão, sem uma missão consistente e sem uma visão de futuro, foi-se deteriorando a relação com toda a comunidade.

Com a criação do ABC de Braga – Andebol S.A.D. inicia-se uma nova etapa na vida deste clube. Uma etapa marcada pela mudança ao nível da sua gestão e organização, mas também na sua visão e missão organizacional. Uma mudança cujo objetivo principal é devolver o clube ao convívio com a comunidade bracarense. Uma mudança que envolva novamente a cidade num movimento entusiasta associado a vitórias, não só desportivas, mas também organizacionais e comunitárias, uma vitória de todos os bracarenses.

Apresentação da estratégia global do ABC

A elaboração de um plano estratégico é o resultado de um processo exaustivo de consulta, recolha, análise e processamento da informação em conhecimento útil para a organização. Este processo tem por objetivo estabelecer prioridades e passos a seguir para alcançar o sucesso desejado na sua implementação.

A estratégia apresentada é o resultado de um processo rigoroso de consulta e análise de documentação, pesquisa de informação sobre as tendências e ferramentas da gestão desportiva e reuniões efetuadas com várias individualidades do meio científico, empresarial e desportivo.

Tendo em conta a responsabilidade social inerente a uma organização desportiva, foi colocada ênfase no envolvimento da comunidade local e na sua contribuição, como uma condição para o sucesso da estratégia desenvolvida.

Assim, a cultura organizacional subjacente ao plano de desenvolvimento estratégico do ABC procura orientar as ações executivas a implementar nos próximos dois anos:

Aumentar a taxa de associados e patrocinadores do clube. Dentro deste ponto incluem-se as ações de marketing, as vantagens, os preços, a inclusão, o envolvimento;

Estruturar uma rede de parcerias. Incluem-se neste ponto todos os parceiros-chave do ABC: escolas, instituições, comunidade, comércio local, empresas de referência, associações. É necessário planificar e priorizar ações, categorizar a rede, maximizar os contatos e os recursos;

Aumentar a taxa de assistência a jogos. Neste ponto inclui-se a melhoria das condições de assistência e o modelo organizativo do espetáculo desportivo, tornando-o atrativo para o público, parte da marca ABC, de modo a fidelizá-lo;
Melhorar as condições das instalações. Incluem-se todas as ações de modernização e organização das instalações de modo integrado, facilitadoras da execução do plano estratégico;
Reposicionar o ABC dentro das instituições desportivas locais. Incluem-se neste ponto todas as relações sociais estabelecidas com as instituições de referência, públicas e privadas, da cidade;
Trabalhar em parceria. Neste ponto incluem-se todas as relações com as forças vivas da cidade, planeando campanhas e acções de promoção das atividades, produtos e serviços que o ABC cria para benefício da comunidade;
Trabalhar com as escolas para promover a prática do andebol e o clube. Neste ponto inclui-se a criação de uma estrutura para o trabalho inclusivo dos jovens jogadores com potencial (JJP);
Implementar processos de criação de valor. Inclui-se neste ponto a criação de metodologias de trabalho que privilegiem a qualidade e a satisfação dos stakeholders do ABC;
Desenvolver processos de monitorização. Incluem-se neste ponto todos os programas de recolha de informação relativa à qualidade e satisfação dos serviços produzidos pelo ABC. Informação orientada para a retenção e fidelização de associados e investidores.

A estratégia promove o ABC de forma global, estabelecendo prioridades de ação que conduzem a comunidade ao clube, através de propostas diversificadas de participação.

A estratégia também visa alcançar todos aqueles que utilizam a interface desportiva como uma forma de alcançarem os seus próprios objetivos, identificando as suas necessidades e criando os mecanismos necessários para as satisfazer.

É vital para o ABC a existência de um modelo de ação sustentado por ideias de âmbito estratégico, assentes numa visão global, não só diagnóstica, mas também prospetiva. O modelo desenvolvido identifica as dimensões-chave da estratégia de intervenção proposta para os próximos três anos. As dimensões estratégicas estão devidamente orientadas para a ação e estruturadas segundo três planos de intervenção, tornando a sua dinâmica, tridimensional:

O plano desportivo;
O plano organizacional;
O plano comercial;

A eficácia da dinâmica tridimensional resulta do cumprimento rigoroso de três princípios básicos da gestão: planeamento, organização e liderança.
Tendo sempre presente este conjunto de princípios estruturantes, o modelo articula de forma clara e dinâmica um conjunto de ações a desenvolver em quatro dimensões-chave:

Ambiente organizacional
A marca
As parcerias
A afiliação

Patrocinadores
Classificação
Séniores
 
POS Equipa J P
1 ABC/UMinho 7 19
2 SL Benfica 6 18
3 Sporting CP 7 18
4 CF Os Belenenses 8 18
Jogos
Próximos
 
Resultados